O que você ainda não sabe sobre Empreendedorismo Feminino

Publicado por Rizer em

Mulher negra empreendedora

De acordo com um estudo feito pelo SEBRAE, o número de mulheres que estão se tornando empreendedoras tem crescido, porém ainda é menor do que o número de homens que fazem o mesmo movimento na carreira. Isso porque ainda há uma diferença nas motivações entre os dois: enquanto os homens empreendem para realizar um sonho ou uma porque viram uma oportunidade de terem seus próprios negócios, as mulheres começam a empreender por necessidade de ter uma renda complementar.

Também há um estudo da Leanln.org e da McKinsey onde diz que a razão principal pela qual as trabalhadoras não avançam na carreira empreendedora é porque não encontram mentores nas lideranças.

Desafios para as empreendedoras

Apesar das visíveis mudanças em relação a mulher empreendedora, ainda há mudanças que precisam ser feitas em diversos âmbitos, inclusive no pensamento das próprias mulheres, já que a sua maioria tem medo de correr riscos. O que acaba fazendo com que elas invistam melhor o seu dinheiro em negócios que tendem a crescer, evitando a quebra em até 5 anos, como costuma acontecer com metade dos negócios que são iniciados.

Dentre os principais desafios enfrentados pelas mulheres estão:

Investimento desigual – atualmente, segundo o instituto norte-americano GEDI, cerca de 30% dos negócios privados no mundo são liderados por mulheres, porém a maioria dessas empresas não são consideradas de alto impacto e apenas 2% delas conseguem gerar mais de US$1 milhão em receita por ano. Isso porque apenas 10% dessas empresas recebem investimento externo. O normal é que esse investimento seja dado para empresas lideradas por homens;

Desestímulo – apesar de muita gente acreditar na diversidade de gênero nas empresas e que isso melhora a performance das empresas, poucas são as mulheres com cargos de chefia. Estudos já mostraram que mais de 60% das mulheres contratadas mostram vontade de crescer na empresa e subir de cargo, mas essa porcentagem cai draticamente quando notam que seu trabalho não está sendo reconhecido ao longo do tempo;

Educação desigual – é no ambiente escolar que são ensinadas e desenvolvidas as habilidades pessoais que são usadas para empreender. O problema é que ainda existem diversos países e culturas que não permitem que mulheres estudem, fazendo com que elas não criem suas redes de networking e tampouco se sintam seguras e preparadas para abrirem seus negócios;

Sexismo – por último, mas não menos importante, existe a discriminação da mulher. Ainda hoje existe o pensamento de que homens são melhores preparados para os negócios, enquanto as mulheres não. E sem a chance para começar, fica praticamente impossível desenvolver qualquer habilidade nesses setores.

Importância do empreendedorismo feminino

Já é do conhecimento de todos que quando há empreendimentos criados por mais de um gênero, há também o crescimento do PIB do país. E isso torna-se um bom ciclo no meio dos negócios. Afinal, com mulheres empreendendo, há movimentação da economia, geração de empregos e estímulo para que mais mulheres também comecem a empreender.

Também é importante lembrar que uma mulher que é dona do seu próprio negócio investe mais na família e tem mais autonomia para não aceitar violência doméstica.

Mais do que uma administração, o empreendedorismo feminino representa a mudança social e o empoderamento das mulheres, trazendo a tona discussões sobre como a mulher é vista dentro da sociedade e gerando mudanças positivas.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *