/blog


Pesquisar no blog
  • Por
    Bruna Maldonado
  • Publicado em 20/02/2022

Gestão de Produtos eficaz: o que é e como aplicar?

A gestão de produtos vive uma verdadeira transformação em suas áreas de aplicação. O que antes abrangia à estratégia da marca e posicionamento do produto, hoje já apresenta multiníveis de rotinas estratégicas que, a cada dia mais, reforçam-se como poderosos criadores de fã-clubes – e neste artigo explico a metodologia de gestão moderna de produtos, tim-tim por tim-tim. Boa leitura!


O que é gestão de produtos?

Gestão de produtos é uma estratégia que engloba áreas como marketing, administração, vendas, financeiro, desenvolvimento, atendimento ao cliente e logística, em prol do gerenciamento eficiente do portfólio de produtos ou serviços.

Como pilar estratégico, a área de produtos unifica departamentos distintos em uma mesma operação, sendo a responsável por responder através da execução de tarefas efetivas, as seguintes perguntas:

Concepção, oferta, demanda e inovação do produto

  • O que o mercado procura e podemos oferecer?
  • O que falta no mercado e podemos oferecer?
  • Para quem iremos oferecer?
  • Quais aspectos emocionais envolvem o produto?
  • Quais aspectos legais tangem o produto?
  • Quais aspectos de redução de impactos ecológicos tangem o produto?

Desenvolvimento, produção e embalagem do produto

  • Quais características tornam o produto apto ao mercado?
  • Quais aspectos tecnológicos tornam o produto único?
  • Como será o fluxo de produção do produto?
  • Onde o produto será produzido?
  • Quais aspectos de segurança permeiam o desenvolvimento e manuseio do produto?
  • Como será a embalagem do produto?
  • Quais os meios ideais para armazenamento e envio do produto?
  • Como serão realizadas as ações de patente e demais registros que se fazem necessários para o produto?
  • Quando e como será produzida a ficha técnica do produto?
  • Quais certificações de qualidade são importantes e devem ser aplicadas ao produto?

Aspectos financeiros do produto

  • Qual o custo para produção e comercialização do produto?
  • Qual margem de lucro esperamos da venda do produto?
  • Qual preço devemos praticar?
  • Qual budget temos para trabalhar a divulgação do produto?
  • Quais KPIs financeiros serão atrelados para o acompanhamento do desenvolvimento do produto?

Comunicação do produto

  • Qual mensagem o produto quer transmitir?
  • Qual será o slogan do produto?
  • Quais cores e demais aspectos sensoriais serão aplicados ao produto?
  • Quais serão as características físicas e de layout da embalagem?
  • Quais peças publicitárias serão utilizadas para o marketing do produto?

Marketing de produto

  • Quais serão as jornadas de compra do produto?
  • Em quais canais venderemos?
  • Em quais mídias devemos divulgar o produto?
  • Quais estratégias de budget utilizaremos para o produto?
  • Como controlaremos o fluxo completo?
  • Haverão kits para venda?
  • Haverá estratégia de venda diferenciada, por tipo de canal?

7 Pilares estratégicos para a Gestão de Produtos

Como já citado, o time de Produtos exerce atuação além do convencional – ou seja, embora muitas vezes representem o departamento de produtos da instituição, suas squads comportam-se como elos eficazes com atuação 360°.

Para que a cultura de gestão de produtos seja aplicada ao dia-a-dia da empresa, 7 pilares precisam ser observados. São estes:

1 –  Organização de equipes: formação de Squad

Squad é um time orientado para negócios. Os participantes da squad precisam ser altamente capacitados e ter total independência e responsabilidade sobre suas atividades e foco da empresa. A Squad pode (e deve) ser formada por diversas Categorias de profissionais, assim como devem, por si, ser independente frente às demais Squads da organização.

2 – O cliente ao centro do negócio

A gestão de produto tem como ponto de partida de todo e qualquer processo deste tipo, o cliente. Ou seja, toda a rotina, sem exceção deve ser voltada à necessidade, experiência, atendimento, construção e gestão de comunidade do cliente.

3 – Instinto Ownership de participação

Provavelmente você já tenha escutado bordões de negócios como “ser o dono do problema”, ou então “pensar como o dono da empresa”, e é justamente sobre este sentimento que empodera o colaborador, que o termo Ownership representa. A gestão de produtos eficiente requer profissionais de diversas áreas de atuação, contudo, com uma hard skill em comum: saber resolver problemas. Posto isso, e para que seja possível tal aplicação de conceito, é necessário o planejamento de cargos e atribuições aliado à uma cultura organizacional que garanta a independência dos processos e colaboradores, para expressar ideias, analisar informações, propor ideias/melhorias, resolver conflitos e autogerenciamento com foco em metas.

4 – Questionamento contínuo: a importância dos testes

Testes A/B, análises de usabilidade, compreensão do comportamento do usuário, agrupamento e análise conjunta de dados, com foco em tomada de decisão assertiva, são tarefas triviais que devem ser aplicadas a TODOS procedimentos que tangem gestão de produtos. O questionamento é tido como o tesouro valioso no conceito de Product Management, e os resultados de tal aplicabilidade devem ser medidos e apresentados à Squad para a tomada de decisão.

5 – O papel do executivo frente ao time de gestão de Produtos

Para que a tão falada independência da Squad de produtos seja, de fato, aplicada é necessário que a cultura da alta gestão também se adeque a mudanças. No conceito moderno (e com cases de sucesso como os da Netflix, Nubank, dentre outros) o papel dos executivos tange à visão do todo para compreensão das metas, assim como o papel do C-Level tange a missão de direcionar. A autonomia da operação da Squad deve ser reforçada no contexto completo.

6 – Evitar decisões top-down

A Squad de produtos de uma empresa carece de uma cultura de trabalho que permita que todos os profissionais envolvidos possam questionar e ser ouvidos. Deve, portanto, existir mecanismos de gestão que motivem tal aspecto. O propósito da squad, alinhado ao propósito do negócio, deve ser comprado por todo o time e a compreensão de que profissionais criativos carecem de contextualização apropriada de desafios e razões para alcançar metas, é vital para a eficiente gestão de produtos.

7 – Balancear decisões de curto e longo prazo

O conceito de jornada do produto indica que uma única experiência ruim do cliente coloca em risco toda a operação do produto. Por isso, os PMs precisam estudar, apresentar e acompanhar o impacto que uma ação a curto prazo pode surtir a longo prazo, assim como devem saber valorizar as oportunidades de ganho no curto prazo (otimizações/low hanging fruits).

A Tecnologia a favor da gestão de produtos

A pluralidade de atuação da squad de gestão de produtos, sem sombra de dúvidas, carece do suporte tecnológico de um sistema de gestão de produto que suporte com inteligência artificial toda a operação.
Existem no mercado inúmeros softwares especializados na rotina de gestão de produtos, assim como há plataformas como a nossa da Rizer, que permite que qualquer profissional (com ou sem experiência) crie o seu próprio sistema de gestão de produtos, de forma rápida, prática, completa e totalmente customizada – faça um teste grátis de 7 dias ou agende uma consultoria gratuita com nossos especialistas.

Artigos Relacionados